Escravidão no Brasil: escravos numa plantation / engenho de café no Brasil em 1882.

Sobre a Escravidão no Brasil

O tópico de hoje é um tanto sombrio, mas não deixa de ser parte da história do Brasil. Não só isso, mas também é um assunto muito importante, já que impactou fortemente a nossa sociedade. A escravidão no Brasil foi um negócio sério, e afetou milhões de pessoas no país durante o período colonial e imperial. Vamos dar uma olhada na história da escravidão no Brasil e na Lei Áurea que pôs fim a tudo isso. Qual era o número de escravos no Brasil? O quão importante foi o tráfico negreiro no nosso país? E quais foram os efeitos da escravidão no Brasil? Descubra conosco e aprenda vendo várias fotos históricas da escravidão aqui.

Escravos Indígenas e Africanos no Brasil

A primeira coisa que você deve ter em mente é que a escravidão não só impactou aqueles de origem africana. Quando os portugueses entraram em contato com os indígenas brasileiros, eles pensaram que eles serviriam bem de gado humano e os usaram para construir cidades – grandes até, como o Rio de Janeiro. Os escravos africanos só começaram a ser trazidos para o Brasil por volta de meados do século XVI – uns quarenta anos após o descobrimento do Brasil.

A História da Escravidão no Brasil

Se há um lugar onde a escravidão era prominente, era nas grandes fazendas chamadas de plantations – o que às vezes chamamos de engenho em português. Inicialmente, o maior produto do Brasil era a cana-de-açúcar e seus derivados, como o açúcar, a cachaça e o melaço. Mais tarde, ao passo que o Brasil se desenvolveu como um país e nação, o açúcar cedeu lugar para o ouro e depois para o café. As fazendas de café são o que geralmente vêm em mente quando pensamos sobre escravidão aqui. Isso se dá porque elas eram muito prominentes no século XIX e, nessa época, a escravidão já podia ser fotografada no flagrante. A imagem abaixo retrata justamente isso.

Escravidão no Brasil. Escravos trabalhando numa plantation / engenho de café.

A Viagem da África

Os escravos africanos eram trazidos pelo mar, sendo marcados com ferro pelando para serem identificados por seus donos. Eles atravessavam o Atlântico em navios superlotados sem qualquer tipo de alimentação adequada. As condições nestes navios eram horríveis, e muitos faleceram durante a viagem, sendo jogados ao mar sem cuidado algum, para que os comerciantes de escravos pudessem chegar mais rápido em seu destino final. O poema Navio Negreiro de Castro Alves,  um poeta brasileiro famoso do século XIX, retrata as cenas aterrorizantes que se passavam nesses navios.

Navio negreiro a caminho do Brasil.

A Vida no Brasil e a Escravidão

Na chegada ao Brasil, famílias eram separadas, e cuidava-se dos escravos, que depois eram postos à venda. Homens fortes e crescidos podiam ser vendidos por preços mais altos – eles trabalhariam facilmente cortando cana, colhendo café e fazendo serviços no campo e no engenho, no geral. Os mais “sortudos” tinham a oportunidade de trabalhar na casa grande – onde os donos do engenho moravam. Os serviços do lar eram os preferidos entre escravos, já que os mau-tratos não eram tão comuns nem tão severos quanto no campo. O pintor Jean-Baptiste Debret se tornou muito famoso por retratar a escravidão no Brasil em imagens como as abaixo. Prometemos te contar a história da escravidão no Brasil com imagem, não foi?

Escravidão no Brasil: supervisores punindo escravos em uma propriedade rural. Jean-Baptiste Debret.

Supervisores punindo escravos em uma propriedade rural – J. B. Debret

Escravidão no Brasil. O Jantar. Os passatempos depois do Jantar. Jean-Baptiste Debret.

Passatempos depois do Jantar – J. B. Debret

A Abolição no Brasil

O século XIX foi bem turbulento quando se trata da abolição da escravatura no Brasil. Artistas, poetas, entre outros, começaram a usar seus talentos para criticar o tráfico negreiro no Brasil e as leis escravistas. O movimento abolicionista, no entanto, apesar de chamar muita atenção no exterior, levou décadas para ver resultados aqui. O primeiro passo em direção a abolição foi em 1850, quando o tráfico negreiro internacional foi legalmente extinto no Brasil. Daquele dia em diante, o tráfico de escravos só poderia ocorrer dentro das fronteiras brasileiras. Esse foi o início do fim da escravidão no Brasil.

Por volta da década de 1870, vendo todos seus aliados indo em direção da liberdade, ficou claro que a abolição no Brasil tinha que estar perto de acontecer. Ao passo que a escravidão no Brasil se tornou o principal tópico de discussão, Alberto Henschel, um fotógrafo brasileiro-alemão, decidiu tirar retrator de escravos, dando um rosto às pessoas que os abolicionistas buscavam tanto defender. Esses retratos foram coloridos recentemente, e você pode vê-los aqui. Com isso, ativistas políticos como Joaquim Nabuco começaram a pôr mais pressão no governo para libertar todos os escravos. Ele é famoso pela frase:

Não existe liberdade ou independência em uma terra com um milhão e meio de escravos.

Lei Áurea

Várias leis foram passadas, lentamente libertando as crianças de escravos, escravos mais velhos que 65 anos, em diante. E o país esperava ansiosamente por uma oportunidade de ver todos os seus cidadãos livres. Em 1888, o Senado brasileiro finalmente aprovou a Lei Áurea, que marcou o fim da escravidão no Brasil. O momento foi registrado na história, com uma multidão de espectadores ao redor dos senadores, testemunhando esse momento histórico no Rio.

O Senado brasileiro passa a Lei Áurea no Rio de Janeiro. O início do fim da escravidão no Brasil.

Mas esse não foi o fim! Parte da burocracia da abolição no Brasil era ter a aprovação da família real. Eles precisavam que o Imperador ou seu herdeiro assinassem a Lei Áurea para ela ser oficializada. A Lei Áurea foi assinada no dia 13 de maio de 1888 pela Princesa Isabel, agora conhecida como a libertadora dos escravos, no Paço Imperial do Rio de Janeiro. Nós não temos uma foto dela assinando a lei, mas temos uma da multidão do lado de fora do palácio, aplaudindo a Princesa.

A abolição da escravatura no Brasil se deu em 1888 com a Lei Áurea. Multidão celebra após Princesa Isabel assinar a Lei Áurea no dia 13 de maio de 1888.

Os Efeitos da Escravidão no Brasil

O número de escravos trazidos para o Brasil é gigantesco. Dos 12 milhões e meio de escravos que vieram para as Américas, Portugal foi responsável por quase 6 milhões. E os números são ainda mais chocantes quando você pensa sobre o fato que nem todas essas pessoas chegaram à costa do Brasil. Cerca de 12% dos escravos morreram no caminho para as Américas – isso é, um milhão e meio de pessoas jogadas ao mar. É aproximadamente o mesmo número de escravos que haviam no Brasil no final do século XIX.

Os efeitos da escravidão no Brasil também foram duradouros. Para começo de conversa, o ano depois da abolição da escravatura no Brasil, houve um coup d’état que depôs o imperador e instalou uma República que não ajudou em nada na transição da vida de escravidão para a liberdade e vida regular. Muitos ex-escravos continuaram trabalhando nas mesmas plantations que trabalhavam antes de serem libertos. A vida no início do século XX não parecia tão diferente para ele daquela que eles viviam no final do século XIX. E se você estiver interessado, muitos livros foram escritos sobre isso, incluindo Menino de Engenho por José Lins do Rego.

Hoje em dia, apesar da situação ter mudado um pouco, o preconceito ainda não foi erradicado. A escravidão no Brasil, infelizmente, ainda deixa uma marca. Mas, com sorte, estamos lentamente caminhando na direção de mudanças positivas.

Isso é tudo! Espero que você tenha gostado de aprender sobre essa grande parte da história do Brasil. Se você quiser aprender mais, por que não fazer aulas de português online com a gente? Talvez a gente até possar ler Navio Negreiro e discutir juntos!

Nos vemos na próxima Dica!

          read this dica in english
Clique nos links abaixo para ver mais Dicas relacionadas:

História da Capoeira no Brasil
História da Independência do Brasil
Candomblé no Brasil

0 421